INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS
O Campinarte é independente. Não recebe subvenção de nenhuma prefeitura, governo de estado e muito menos do governo federal. Não somos uma organização não governamental, fundação, associação ou centro cultural e também não somos financiados por nenhum partido político ou denominação religiosa. Não somos financiados pelo tráfico de drogas ou milicianos. Campinarte Dicas e Fatos, informação e análise das realidades e aspirações comunitárias. Fundado em 27 de setembro de 1996 por Huayrãn Ribeiro.

Pesquisar este blog

VOCÊ É O VISITANTE

Translate

Edição de Junlo / 2018

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Leia Também

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Ney Matogrosso estrela sequência de "O Bandido da Luz Vermelha"

Filme emblemático do cinema marginal, "O Bandido da Luz Vermelha" (1968), de Rogério Sganzerla (1946-2004), marcou época, unindo contundência no comentário social em plena ditadura a uma estética suja, contrária ao embelezamento de um cinema clássico. Foram necessários mais de 40 anos para o lançamento da sequência: "Luz nas Trevas - A Volta do Bandido da Luz Vermelha".
O filme foi feito a partir de um roteiro deixado pelo próprio Sganzerla, que foi transformado num projeto familiar da empresa Mercúrio Filmes, integrada pela viúva do diretor, Helena Ignez, e suas filhas Djin e Sinai.
Filmado num presídio abandonado, na zona leste de São Paulo, e dirigido por Helena Ignez e Ícaro Martins, o novo filme retoma o personagem original, inspirado num assaltante real, João Acácio Pereira da Costa, e interpretado em 1968 pelo ator Paulo Villaça - que morreu em 1992.
Nesta sequência, além do novo intérprete - o cantor Ney Matogrosso, em seu primeiro papel principal no cinema -, o personagem está diferente. Os anos de cadeia o transformaram num homem mais amargo e reflexivo, que cultiva uma vaidade peculiar, exercitando frequentemente seus músculos e gastando seu tempo em leituras de filósofos, como Kant e Nietzche
CONFIRA NA FONTE
.