INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

‘Vamos educar através da arte’, diz secretário de Cultura de Caxias

Rio - Jornalista, cineasta e diretor teatral, Jesus Chediak assume a Secretaria de Cultura de Duque de Caxias com o desafio de levar entretenimento e lazer a uma cidade com poucos equipamentos culturais. Irmão do compositor Almir Chediak, ele terá como subsecretário o presidente do Ponto de Cultura Lira de Ouro, André Oliveira, com grande trânsito na cidade. Um dos baluartes da cultura em Caxias, a Feira dos Nordestinos deverá ser tombada, anuncia o secretário. Confira a entrevista concedida ao O Dia:

Jesus Chediak planeja trazer a Caxias grandes nomes da cultura | Foto: Paulo Alvadia / Ag. O DIA
Jesus Chediak planeja trazer a Caxias grandes nomes da cultura | Foto: Paulo Alvadia / Ag. O DIA
Qual será seu principal desafio à frente da Secretaria de Cultura de Duque de Caxias?
A minha proposta é levar educação através da cultura. A iniciativa é baseada no método do educador Paulo Freire, que não enxergava a cultura só como arte, mas como forma de ser, que identifica a sociedade. E arte é uma forma de universalizar a cultura.

O município já tem alguns equipamentos culturais, como o Centro Cultural Oscar Niemeyer, composto de biblioteca e teatro. O senhor pretende ampliar esses espaços? 
Vamos desenvolver projetos que ocupem esses espaços. Um deles será o Festival da Primavera, previsto para setembro. Será uma experiência-piloto que pretendo desenvolver em Caxias.

Como será o festival?
Pretendo trazer grandes nomes da cultura até a cidade. Um deles é o (cartunista) Ziraldo. Faremos um grande festival, envolvendo os mais variados segmentos da cultura, com as mais variadas oficinas, abrangendo literatura, teatro, artes plásticas. Vamos fazer também um grande censo para termos a noção exata dos equipamentos culturais que temos no município.

Que outras iniciativas o senhor pretende fazer para desenvolver a cultura? 
Vou trazer grandes personalidades da cultura. Acho fundamental o entrosamento da cultura com a educação. Também pretendo promover oficinas e ensinar aos jovens do município como fazer blogs.
Queremos que os jovens sejam os porta-vozes da cultura dentro de suas comunidades. Vamos fazer um jornal virtual, organizar oficinas de imprensa comunitária.

O que o senhor pretende fazer com a Feira dos Nordestinos? Haverá algum incentivo para os que promovem e frequentam o espaço tradicional?
Pretendo pedir o tombamento da Feira dos Nordestinos. Vamos entrar em contato com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e providenciar o tombamento. Considero de fundamental importância a Feira dos Nordestinos, com a sua culinária, a música. É de grande identidade com o morador de Duque de Caxias.

A escola de samba Grande Rio assumiu grande destaque no cenário do Carnaval. Como será a sua relação com a escola?
Eu já tinha grande simpatia pelas cores da escola (verde, vermelha e branca), que são as mesmas do meu Tricolor (Fluminense). Agora, não há dúvidas que a Grande Rio é de grande importância, sobretudo pela autoestima que causa ao morador de Caxias. Vamos estabelecer parcerias com a escola, levar a música e a arte a todos.

Que outros projetos o senhor pensa em realizar à frente da Secretaria?
Quero realizar um festival nacional de cinema digital. Penso em trazer, como curador, o cineasta Silvio Tendler. Como tenho grandes amigos nesse área, a ideia é realizar o festival ao mesmo tempo que o Festival da Primavera.

Além da Secretaria, que projetos o senhor está realizando como cineasta?
Estou finalizando o filme ‘O Eterno Poder Jovem — Nós que Sonhamos Tanto’, um documentário com depoimentos de diversas personalidades, como a atriz Fernanda Montenegro, Ziraldo, Nelson Pereira dos Santos, aqueles que sonharam com um modelo de sociedade justa e fraternal. Assino a direção e o roteiro. O outro é ‘Parto para a Liberdade, uma Breve História de Pedro Aleixo’.