INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

EMPRESAS VÃO DOAR RESÍDUOS PARA COOPERATIVA DE CATADORES DE GRAMACHO

Empresas instaladas em Duque de Caxias doarão resíduos recicláveis para o Pólo Reciclador de Jardim Gramacho. O anúncio da parceria com as cooperativas de catadores foi feito em audiência pública da Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), nesta quinta-feira (27/11). O objetivo da reunião foi apresentar a importância do trabalho realizado pelos catadores de Jardim Gramacho e convidar estabelecimentos comerciais e industriais a colaborarem com materiais descartados. O Pólo é coordenado por quatro cooperativas de catadores do antigo lixão de Jardim Gramacho e foi construído com recursos da Refinaria Duque de Caxias (Reduc). Segundo o vice-presidente da comissão, deputado Carlos Minc (PT), o Gramacho é o primeiro pólo reciclador criado no mesmo local de um lixão, servindo de referência para cooperativas de todo o país. “Estamos com a experiência do Pólo, mas o foco mais amplo são todas as cooperativas de catadores. Não queremos só apelar para a solidariedade da empresa A, B ou C, mas é preciso um mecanismo que crie esse fluxo de fornecimento de material de qualidade”, afirmou o parlamentar. De acordo com o presidente da Associação de Catadores e Amigos do Jardim Gramacho, Sebastião Santos, o objetivo inicial das cooperativas é completar o recebimento total de resíduos nos dois galpões do Pólo. O espaço hoje opera a 70% de sua capacidade, e a Associação busca aumentar seu processamento antes de expandir suas instalações. “Precisamos dar conta dos 100% da capacidade. Não vamos criar outros galpões agora, para não virarem elefantes brancos. Para que eles funcionem, primeiro temos que receber matéria-prima”, disse Sebastião. O principal fornecedor de resíduos sólidos é a Reduc. Apenas nesse ano, o complexo industrial ofertou 140 toneladas de materiais ao Pólo – em especial, papel e plástico – e a refinaria trabalha para convencer empresas terceirizadas a também enviarem. “Foi muito importante para a refinaria ter um pólo reciclador próximo. É uma experiência muito bem sucedida e precisamos estender mais”, salientou o engenheiro de Meio Ambiente da Refinaria, Marcelo dos Santos Lara. O Grupo Carrefour também destinará o material reciclado recolhido em pontos de coleta dos supermercados para Gramacho. “Do ponto de vista operacional, com a cooperativa estando pronta, já estamos aptos para fornecer esse material”, informou o gerente de Sustentabilidade do grupo, Fernando Careli. A Prefeitura de Duque de Caxias também desenvolve projetos para incentivar as atividades dos trabalhadores de Jardim Gramacho. O município, que produz 40 toneladas diárias de lixo, conta com 34 cooperativas de catadores e está combatendo lixões clandestinos para se adequar à Política Nacional de Resíduos Sólidos. O secretário de Meio Ambiente de Caxias, Luiz Renato Vergara, afirmou que a recuperação do mangue na região está em andamento, e os trabalhadores receberão moradias dentro do programa Minha Casa, Minha Vida. “O Jardim Gramacho, que sempre foi a latrina no Rio de Janeiro, hoje vai ressignificar a vida de cada morador. Nós não tivemos a compreensão de que somos só amigos do coletor, mas temos que nos dedicar ao máximo.”