INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Poço artesiano abastece os ‘sem-água’ de Caxias

Moradora de Campos Elíseos, em Caxias, Neuza diz que nunca teve água tratada fornecida pela Cedae

Nota da Cedae
“A Baixada Fluminense tem áreas onde o abastecimento é irregular ou realizado através de poços artesianos devido a décadas de crescimento desordenado e ocupação irregular do solo não coibidos pelos poderes municipais.
Além disso, o uso irracional da água por parte daqueles que possuem ligações clandestinas causa flutuações no fornecimento de água em áreas formais de abastecimento da Cedae, principalmente no verão, período em que o consumo de água aumenta em até 30%.
Vale informar que toda a Baixada Fluminense terá o serviço de abastecimento de água universalizado nos próximos três anos com as obras do ‘Programa de Abastecimento de Água para a Baixada Fluminense’, do governo estadual, por meio da Cedae, orçadas em R$3,4 bilhões e já em andamento em toda região.
Esta região será atendida diretamente pelo sistema de abastecimento e tratamento de água de Campos Elíseos. As obras estavam a cargo da Secretaria de Obras, mas devido aos problemas financeiros do estado a Cedae pleiteou a inclusão destas obras no Programa de Obras da Baixada e assumiu a sua complementação em janeiro de 2017, com o objetivo de dar celeridade e funcionalidade ao projeto. A previsão é que o edital da licitação ocorra ainda no primeiro trimestre de 2017, com prazo de execução até o fim do programa (2019).
O valor a ser licitado é de cerca de R$30 milhões, oriundos de recursos próprios da Cedae. As obras consistem na construção de uma Estação de Tratamento de Água (ETA) com capacidade para tratar 200 litros por segundo; assentamento de cerca de 2.600 metros de adutora; construção de dois reservatórios; assentamento de aproximadamente 28 quilômetros de rede distribuidora; mais de mil ligações domiciliares e construção de elevatórias.”


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/poco-artesiano-abastece-os-sem-agua-de-caxias-cidade-tem-121-mil-nessa-situacao-20961721.html#ixzz4ZQBncLIK