O Campinarte é independente. Não recebe subvenção de nenhuma prefeitura, governo de estado e muito menos do governo federal. Não somos uma organização não governamental, fundação, associação ou centro cultural e também não somos financiados por nenhum partido político ou denominação religiosa. Não somos financiados pelo tráfico de drogas ou milicianos. Campinarte Dicas e Fatos, informação e análise das realidades e aspirações comunitárias. Fundado em 27 de setembro de 1996 por Huayrãn Ribeiro.

Pesquisar este blog

VOCÊ É O VISITANTE

Translate

Edição de Out. / 2018

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Leia Também

segunda-feira, 12 de março de 2018

Para o povo intervenção é mais uma farsa

Os últimos acontecimentos tem servido apenas para ratificar uma coisa que está na cara de todo mundo, mas fazem questão (todos) de ignorar transferindo para terceiros a responsabilidade do atual caos social instaurado (principalmente ) nas ditas comunidades carentes, que é essa briga de facções criminosas pelo controle dos pontos de venda de drogas.
“Autoridades” chegaram a acusar os comandantes da polícia militar de serem sócios do crime organizado (e ninguém protestou), depois as mesmas autoridades afirmaram que essa intervenção federal no Rio de Janeiro não ia adiantar de nada enquanto a classe média continuasse a usar drogas e mais: essas mesmas autoridades sugeriram a descriminalização das drogas. E como se não bstasse, esses mesmos afirmam que o tráfico de drogas não pode parar. Ora, então está fadada ao fracasso mais essa ação governamental, ou melhor, desnecessária essa intervenção federal, pois a população não entende como é que as froças armadas, ao invés do combater a entrada de drogas e armas nas fronteiras, estão retirando barricadas pelas periferias da cidade. Para o povão isso não passa de mais uma grande farsa, pois tudo vai a favor dos usuários de drogas. Existe uma máxima que diz: “o suário tem que ser respeitado”. Não se pode falar nada contra os usuários de drogas que aparece um montão de gente, entidades e outras coisas mais para defende-los.
A droga pode ser usada, mas não pode ser comercializada, não pode ser vendida, não é assim? Então, quem é que pode entender essa maluquice? Para a opinião pública o Estado está muito confuso e por causa dessa confusão,  o Estado, o maior criminoso de todos os criminosos continua matando, matando e matando muita gente inocente.
A pergunta é a seguinte: até quando?...