INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

Edição de Dezembro - 2017

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

domingo, 8 de abril de 2012

Campinarte Jornal / Artesão vende 'Judas' em semáforo para malhação do sábado de Aleluia

A um mês da Semana Santa, o artesão Jean Carlos Alves, o Zé do Judas, já começa a vender os bonecos que são malhados e queimados tradicionalmente no sábado de Aleluia em referência ao discípulo Judas Iscariotes, que, segundo a história do cristianismo, traiu Jesus Cristo. Quem passa pelo cruzamento das avenidas Raul Barbosa com Murilo Borges, em Fortaleza, pode encontrar Judas caracterizados de políticos, jogadores e outras personalidades a preços de R$ 100 a R$ 150.

“A procura aumentou. Preparei 70 bonecos para vender neste ano”, afirma Zé do Judas. Entre os campeões de venda, o artesão lista os bonecos do ex-presidente Lula, da atual presidente, Dilma Rousseff, do terrorista Osama Bin Laden e do ex-presidente dos EUA, George W. Bush. Neste ano, segundo o artesão, o mais vendido é o jogador de futebol Geraldo, ex-meia do time Ceará que veste agora a camisa do Fortaleza. O atleta foi um dos maiores ídolos do time Ceará e afirmou em entrevista que jamais vestiria a camisa do time rival no estado.
Zé do Judas, 36 anos, vende os bonecos no mesmo lugar há 12 anos e aceita encomendas. Para ficar pronto a tempo, o boneco precisa ser confeccionado com dois meses de antecedência. “As cabeças são de papel machê e demoram um mês para secar”, explica o artesão que aprendeu a fazer judas com os pais e avós.
Os bonecos de Zé do Judas são da altura de um homem, feitos com estrutura de arame e revestidos de madeira e tecidos. O enchimento contém pregos para fazer a queima durar por até duas horas. “Damos a credibilidade da queima”, diz o artesão. Zé do Judas conta que os preços variam por causa da qualidade do vestuário. “Alguns têm um paletó mais velhinho e outros são mais arrumados”, afirma.