INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sábado, 28 de novembro de 2015

Viajando com o bichinho de estimação

O semáforo estava vermelho e parei ao lado de uma camionete branca. Não pude deixar de reparar que a motorista aproveitava aqueles segundos para brincar com seu cachorrinho, que estava no colo. Ela abriu o vidro para que ele pudesse colocar a cabeça para fora _ porque será que eles gostam tanto disso? Nunca entendi.  Quando o sinal ficou verde, ela arrancou rápido, possivelmente ainda com o animalzinho no colo, ou, no máximo, o largou no banco do lado. Totalmente errado. Animais de estimação devem ser carregados no banco traseiro, não seria preciso nem consultar o Código de Trânsito Brasileiro para saber disso. Mas, para dar a informação o mais correta possível, fui pesquisar o que diz a lei.
O deslocamento de animais de estimação em veículos precisa seguir algumas regras, para que os próprios bichinhos e todos os ocupantes trafeguem com segurança.  O mais correto, diz o CTB, é transportar animais de estimação no banco de trás ou no porta-malas, em caixas de transporte ou em  gaiolas, conforme a espécie animal, sempre com atenção para não prejudicar a visibilidade do motorista. Levá-los nos bancos dianteiros, soltos dentro do carro ou até no colo de um passageiro, além de perigoso, é contra a lei e resulta em infração, com perdas de pontos na carteira e multa. Animais soltos podem pular pela janela, desviar a atenção do motorista e causar acidentes. 
Viajando com o bichinho de estimação Divulgação/Divulgação
O artigo 252 do Código diz que é obrigatório o uso de acessórios que protejam o animal contra lesões provocadas por paradas ou por desvios bruscos. Existem equipamentos e cuidados especiais para cada bicho. Em geral são caixas de transportes, cintos de segurança e coleiras peitorais para cães. Já os gatos, que se assustam com mais facilidade, devem ser transportados em caixas; os peixes, em sacos plásticos; e os pássaros em gaiolas, devidamente cobertas com um pano para o bicho não se estressar com a viagem. 
Com a chegada das férias muita gente viaja com seus bichinhos de estimação. Os veterinários fazem várias recomendações, além do que já foi falado. Assim como as pessoas, os animais podem ficar enjoados, sobretudo se o percurso tiver curvas. Bichinhos muito estressados podem até mesmo precisar de um sedativo quando for necessário viajar. Outro lembrete muito importante é se o carro ficar parado por algum tempo, jamais deixar o animal dentro do veículo, especialmente se estiver muito calor. Tomando as precauções necessárias, o mascote com certeza pode ser uma bela companhia de viagem.

Viviane Bevilacqua
Acompanhe as colunas de Viviane Bevilacqua