INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS
O Campinarte é independente. Não recebe subvenção de nenhuma prefeitura, governo de estado e muito menos do governo federal. Não somos uma organização não governamental, fundação, associação ou centro cultural e também não somos financiados por nenhum partido político ou denominação religiosa. Não somos financiados pelo tráfico de drogas ou milicianos. Campinarte Dicas e Fatos, informação e análise das realidades e aspirações comunitárias. Fundado em 27 de setembro de 1996 por Huayrãn Ribeiro.

Pesquisar este blog

VOCÊ É O VISITANTE

Translate

Edição de Junlo / 2018

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Leia Também

sábado, 31 de outubro de 2015

Tabaco faz disparar cancro e doenças pulmonares

Jornal de Notícias
O cancro e a doença pulmonar obstrutiva crónica, associados ao consumo de tabaco, estão a aumentar em Portugal, garante a comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia.

À Agência Lusa, a coordenadora desta comissão, Ana Maria Figueiredo, admite que há "apenas uma diminuição da incidência das doenças cardiovasculares associadas ao tabagismo devido às novas tecnologias, mas a incidência de cancro está a aumentar, tendo-se registado, nos últimos dois anos, um aumento de 23 para 25% no número de fumadores".

A médica participa, esta quinta e sexta-feira, no Congresso de Pneumologia do Centro, em Viseu, e aproveitou para salientar que se regista um aumento de fumadores em idades mais jovens e que o número de mulheres fumadoras se aproxima dos homens. Ainda segundo a especialista, verifica-se um aumento do cancro do pulmão e de outros tumores associados ao consumo de tabaco.

Para combater este facto, a coordenadora da comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia defende uma legislação mais restritiva sobre o tabaco, sem exceções, referindo que, "nos países com legislação mais restritiva, existem menos jovens a iniciarem-se no tabagismo".

"Haverá outros fatores para o aumento do número de fumadores, mas precisamos de uma legislação forte que seja cumprida, que tenha vigilância no terreno", frisou, acrescentando que seria "importante os mais jovens viverem num ambiente em que fumar não é regra".
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)