INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Alunos de escolas públicas de Duque de Caxias terão aulas de percussão | Agência Brasil

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil
O Instituto Samba e Solidariedade começou hoje (3) a apresentar o  projeto Escola de Percussão Batucadas Brasileiras – Estudando os Sambas do Rio as escolas públicas da região do Polo Petroquímico de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os alunos interessados já podem se inscrever no projeto, que é gratuito e tem como única exigência que os participantes estejam estudando em escolas públicos. No total são total 240 vagas, com turmas pela manhã e à tarde.
O responsável pelo projeto, Maurício Nolasco, disse que a proposta é promover a inserção cultural dos jovens por meio da música. As inscrições vão até 9 de dezembro. Poderão participar crianças e adolescentes de ambos os sexos, dos 14 aos 25 anos de idade, que estudem em escolas municipais ou estaduais da rede pública. O processo de seleção das turmas será feito no dia 12 de dezembro e as aulas começam no dia 2 de janeiro de 2016.
Nolasco disse que o Instituto Samba e Solidariedade é uma consequência do Instituto Bandeira Branca (IBB), criado há 12 anos na zona portuária do Rio de Janeiro e que, durante nove anos, teve patrocínio da Petrobras e atendeu a mais de 6 mil crianças e adolescentes. Agora, o Instituto Samba e Solidariedade faz o projeto Batucadas, que começou este ano, nas comunidades de Campos Elíseos, Jardim Primavera, Saracuruna, Pilar e Bom Retiro, situadas no entorno do polo.
Em Duque de Caxias serão duas turmas, com 60 alunos cada, pela manhã e à tarde. “O aluno que estuda na escola pública pela manhã, estuda conosco à tarde, das 14h às 16h. E aquele que estuda à tarde, consequentemente vai estudar com a gente pela manhã, das 9h às 11h”, informou o coordenador do projeto. As aulas são teóricas e práticas.
Jorginho Gomes, irmão do guitarrista Pepeu Gomes, e Sérgio Chiavazzoli, maestro de Gilberto Gil, são alguns participantes do projeto. As oficinas Estudando os Sambas do Rio têm patrocínio da empresa Braskem e apoio das secretarias de Cultura do estado e do município de Duque de Caxias.
As aulas se estenderão durante um ano. O objetivo é formar músicos e ritmistas. Mestres renomados de baterias de escolas de samba, como Odilon Costa (ex-Grande Rio), Dudu Oliveira (Mocidade Independente de Padre Miguel) e Fabricio Machado, ou Mestre Fafá (Grande Rio) responderão pela capacitação dos jovens.
Maurício Nolasco diz que o projeto não engloba somente ritmistas. “O projeto também trabalha com o mosaico dos ritmos brasileiros, ou seja, com percussionistas profissionais”. Para viabilizar essa parte do projeto, o instituto está em buscando novos patrocinadores. O professor de percussão deverá ser o baiano Ary Dias, que trabalhou com grandes nomes da música popular brasileira, como Caetano Veloso e Rita Lee, informou Nolasco.