INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS
O Campinarte é independente. Não recebe subvenção de nenhuma prefeitura, governo de estado e muito menos do governo federal. Não somos uma organização não governamental, fundação, associação ou centro cultural e também não somos financiados por nenhum partido político ou denominação religiosa. Não somos financiados pelo tráfico de drogas ou milicianos. Campinarte Dicas e Fatos, informação e análise das realidades e aspirações comunitárias. Fundado em 27 de setembro de 1996 por Huayrãn Ribeiro.

Pesquisar este blog

VOCÊ É O VISITANTE

Translate

Edição de Junlo / 2018

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Leia Também

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Municípios do Rio recebem veículos para combate ao Aedes aegypti | Agência Brasil

Municípios da Baixada Fluminense e nove da região metropolitana do Rio de Janeiro receberam hoje (26) veículos exclusivos para o combate ao mosquito Aedes aegypti no estado. Cada região recebeu 13 carros. Ao todo, 170 carros foram adquiridos pelo governo estadual com verba do Ministério da Saúde para ações de vigilância.

O secretário de Saúde Estadual, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior, disse que os veículos são fundamentais para possibilitar a mobilidade dos profissionais em campo. “Os carros representam o resgate da estrutura operacional das secretarias municipais de saúde. O dia a dia da vigilância envolve investigação domiciliar dos casos, atuação de equipes em campo, investigação de óbitos. Eles são imprescindíveis para darmos resposta às ações de vigilância”.
Teixeira Júnior informou que, além do combate ao foco do mosquito, a secretaria está padronizando a assistência dos casos com microcefalia em todo o estado, doença recentemente associada ao vírus Zika transmitido pelo Aedes aegypti. “Estamos diante de uma das maiores urgências em saúde pública das últimas décadas, com as ocorrências dos casos de microcefalia. Nesse cenário, precisamos dar a melhor assistência para a gestante e para a criança que venha a ser diagnosticada com microcefalia”, afirmou. “Montamos um protocolo com base nas diretrizes do Ministério da Saúde para que cada profissional da saúde saiba exatamente o que fazer com a gestante e para onde encaminhar a criança com microcefalia para que ela tenha a estimulação mais precoce possível”, ressaltou.