INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

A VOZ DO CAMPINARTE

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A IMPORTÂNCIA DOS GRUPOS DE MÚTUA AJUDA



Grupos de Mútua Ajuda são pequenas organizações com características de ajuda mútua e de realização de alguma meta. São formados por companheiros que se unem em assistência mútua, com o objetivo de satisfazer uma necessidade comum, superar dificuldade relacionada a um problema físico ou estilo de vida autodestrutivo, buscando dessa maneira uma mudança social ou pessoal. Esses grupos enfatizam as relações face a face, assim como responsabilidade pessoal pelos membros. Fornecem regularmente materiais de assistência (literatura específica) e apoio emocional.

Os grupos de mútua ajuda mais conhecidos mundialmente são os Alcoólicos Anônimos (AA) e os Narcóticos Anônimos (NA), definidos como uma irmandade de homens e mulheres que se ajudam a resolver problemas comuns como o Álcool e outras drogas de abuso. Para tanto, seus membros utilizam o programa de 12 passos que se originou da criação dos AA em 1935, em Akros, Ohio, nos Estados Unidos, com William Wilson (Bill), corretor da bolsa de valores em Nova York, e Roberto Smith (dr. Bob), Médico, ambos alcoolistas que se beneficiaram da troca de experiência, alcançando assim a abstinência e a sobriedade. Estenderam essa descoberta aos demais tornando-se uma referência no tratamento informal do Alcoolismo.

No Brasil, o primeiro grupo surgiu em 1947, posteriormente, o programa de 12 passos foi adotado por outros grupos como recurso de recuperação. Assim foi com os Narcóticos Anônimos (NA). De acordo com esses princípios, formaram-se também grupo de familiares de usuários de alccol (Al-Anon) e drogas (Nar-Anon), assim como grupos para transtornos compulsivos. Existe também um grupo de mútua ajuda muito eficaz que se chama “Amor Exigente”, com reuniões semanais.

O trabalho desenvolvido nos grupos atua nos níveis do pensamente, das emoções e de mudança comportamental, ou seja, a utilização de outra pessoa como ponto de referência. O usuário avalia o testemunho oferecido por outro companheiro. Quando o faz de maneira positiva, automaticamente reflete sobre o quanto essa avaliação pode ser aplicada a ele. A cada reunião, a coesão grupal e reforçada, o sistema global de crenças é reafirmado e se aprendem habilidades de sobrevivência. Um grupo pode influenciar uma família, um indivíduo, outro grupo, este por vez, vai ser influenciado por todos os membros da rede, criando, assim, redes facilitadoras e promotoras de saúde.