INFORMAÇÃO E ANÁLISE DAS REALIDADES E ASPIRAÇÕES COMUNITÁRIAS

CAMPINARTE DICAS E FATOS / O NOSSO JORNAL FALADO

Notícias da CMDC

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Google Notícias

Translate

Edição de Dezembro - 2017

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Campinarte Huayrãn Ribeiro / - Falsas lideranças - a ruína das comunidades...

É muito fácil reconhecer o falso líder comunitário, normalmente é desprovido de seriedade, honestidade e conhecimento de causa. Vive a custa da boa fé dos que o cercam extorquindo uma sociedade que só vai descobrir (bem mais tarde) que aquela bela ovelha é um lobo insaciável sem o mínimo de qualificação moral interessado apenas em se dar bem.
Alguns desses falsos líderes comunitários e seus projetinhos de fachada o leitor pode encontrar em algumas associações de moradores (as que não foram tomadas por traficantes ou milicianos), ONGs, fundações, igrejas, etc.

Outra maneira de reconhecermos um falso líder comunitário é quando o sujeito se lança ou apóia candidatos a qualquer cargo eletivo seja no governo municipal, estadual ou federal.

O falso líder comunitário não tem competência para mobilizar uma coletividade por uma causa nobre até porque um falso líder comunitário não tem nada de nobre por isso é falso.

Esse mesmo falso líder comunitário só consegue atrair um determinado número de pessoas pra fazer palhaçada, Ôba, Ôba!

O falso líder comunitário quando organiza uma dessas manifestações no fundo ele só quer chamar à atenção pra ele na esperança de receber uma proposta do “lado de lá” de uma boquinha numa empresa, no governo ou até mesmo uma quantia em dinheiro, o famoso cala-boca.

Quando alguém que se apresenta como líder age dessa forma, na verdade já assumiu o papel de Judas. Quando um “líder” comunitário se vende, não lhe resta outro papel se não o de trair a sua comunidade.

Quando um “líder” comunitário se lança ou apóia qualquer candidatura a qualquer uma das esferas governamentais: municipal, estadual ou federal, não lhe resta outro papel se não o de trair a sua comunidade.

A presença do falso líder comunitário significa sinal aberto para os oportunistas e enganadores. Permitir e/ou tolerar a presença do falso líder comunitário significa condenar uma comunidade a perambular sem honra, sem dignidade.

A figura do falso líder comunitário coloca o povo como alvo central dos políticos quando o assunto e deprimir e inferiorizar.

O verdadeiro líder comunitário prima pela seriedade, honestidade e conhecimento de causa. O verdadeiro líder comunitário sabe que tem que abrir mão da fama do poder e do dinheiro em detrimento da sua coletividade – é o mesmo que um sacerdócio.

O verdadeiro líder comunitário reivindica, reúne, define e exige os direitos do povo que paga seus impostos... O verdadeiro líder comunitário sabe que direitos são direitos e direitos não se negocia.

As comunidades precisam identificar e se libertar dos falsos líderes comunitários o mais depressa possível.

O cantor e compositor, Fagner, descreve uma situação de completa desdita na letra da música Ave Noturna que se encaixa perfeitamente ao nosso tema desse mês, e fazendo minhas as palavras do poeta eu diria que o falso líder comunitário é pior “que pedra de ponta, areia quente nos dedos, chocalho de cobra, incêndio no arvoredo, vereda de espinhos, seca flor do juazeiro, fogueira do meio-dia e o tiro certeiro”.

O falso líder comunitário é mestre na arte de enganar, iludir, mentir, ludibriar.

O falso líder comunitário não tem amor próprio e muito menos ao próximo.

O falso líder comunitário tal e qual a um camaleão a todo instante (de acordo com as suas conveniências) muda de aparência e de discurso sempre procurando (claro) envolver a comunidade (porque todos os golpes do salafrário são em nome do bem estar da comunidade, da família) usando e abusando da pobreza e da miséria de pessoas idôneas, honestas, trabalhadoras que tocadas pelo verdadeiro espírito comunitário de colaboração, participação e a esperança em melhores dias, acaba confiando cegamente nessas pessoas sem caráter, sem personalidade, sem moral, oportunistas, desonestos, cruéis e criminosos.
Eu os vejo como um câncer que tem se espalhado pela nossa sociedade.
Diziam os antigos que o mal tem que ser cortado pela raiz ou é de pequeno que se torce o pepino, certo?
Então vamos eliminar as falsas lideranças de nossas comunidades eliminando tudo que está fora da lei.

(Huayrãn Ribeiro)